terça-feira, 6 de julho de 2010

UM BELO EXEMPLO...

...para refletirmos sobre aquilo que os políticos falam, sejam eles de situação ou oposição, por mais que se ofendam e acusem.

Hoje, em Porto Alegre, no Legislativo rio-grandense, onde a situação estadual, que é oposição ao Governo Federal, tem maioria, foi concedido título de honra ao mérito à Senhora Dilma. À difamada Dilma.

Muito estranho se considerarmos todas as acusações que, por toda parte, lhe são atribuídas. Em especial aquela em que chamam-na de terrorista. Aqueles que assim a definem, ajudaram na concessão dessa honraria ao mérito.

Com certeza isto faz parte das chamadas negociações, onde um lado cede aqui e o outro cede ali... Um fecha os olhos aqui e o outro não os abre ali.

É bom, e eu venho falando isto há bastante tempo, o cidadão de bem e sem influências observar tais agrados e negociações, sem, no entanto, esquecer-se das acusações e ofensas que uns dirigem aos outros: É TUDO JOGO DE CENA.

Na hora de decisões importantes todos, rigorosamente, todos, estão do mesmo lado: do lado do GRANDE PODER ECONÔMICO. É dele que vêm os patrocínios de campanhas eleitorais, logo, é a ele que os políticos, de todos os partidos, devem consideração, obediência e respeito. Digam e façam o que quiserem!

Quem quiser que continue a se enganar, pensando que este ou aquele vai fazer diferença em favor da população de bem e sem influências.

Tenho pena daquelas pessoas que acreditam e se empenham para defender este ou aquele, quase sempre repetindo as acusações e as ofensas que os políticos dirigem uns aos outros, além de velhas e surradas cantilenas. Não raro brigando com seus iguais.

Coitadas!

4 comentários:

  1. É a mais pura verdadeira: tudo jogo de cena, tudo apenas para chegar ao poder.

    ResponderExcluir
  2. A política é uma briga de foice no escuro, mas quando a luz aparece estão todos de terno e gravata defendendo a paz e os bons costumes.
    Nem este ou aquele vão resolver a vida do cidadão ou melhorar a sociedade, mas precisamos de um ou outro para nos guiar como povo e nação ou todos vamos nos perder em meio as nossas individualidades.
    Então o eleitor precisa é saber escolher bem, e aqui está a pequena e cínica arapuca armada para o povo ( e não só do Brasil).
    As "escolhas" ofertadas são cartas marcadas.
    Na realidade nós do povo os eleitores precisamos é escolher entre nós quem queremos para nos liderar, e convencer estas pessoas a entrar na política!
    É óbvio, mas não é assim que acontece!
    Hoje os malandros se apresentam para a missão, e nós comodamente deixamos o "rio" seguir seu curso...

    ResponderExcluir
  3. É tudo uma "política" mesmo!

    ResponderExcluir
  4. ZEPOVO,
    "A priori" estás correto ao afirmares que deveríamos escolher entre nós as pessoas para serem eleitas. Mas, existe um pequeno detalhe: o sistema é que é podre. Parafraseando o que disse o então dep. estadual Paulo Bisol, há cerca de 30 anos, as pessoas até entram honestas na política, mas lá ou se rendem ao sistema ou sobram.
    O sistema político e jurídico é feito no sentido de beneficiar quem tem grana.
    Peguemos o judiciário: o juiz de 1a. instância não conhece as leis? Por que, então, tribunais em nível superior? Os recursos poderiam ser feitos a uma junta de juízes da hoje 1a. instância.
    Saúde e felicidade.
    JPMetz

    ResponderExcluir